quarta-feira, novembro 02, 2005

16 de Julho de 2067

Portugal acordou hoje totalmente encharcado. Mais uma vez e repetindo o cenário dos últimos 10 anos, o pais encontra-se profundamente alagado por todos os lados. A venda de barcos e jangadas disparou abruptamente nos últimos meses (dados da IMDEN – Associação Marítima de Defesa dos Navegadores). Na região do Alentejo foi encontrada uma mangueira com cerca de 80 metros supostamente utilizada nos fogos que assolaram o país no início do século. Ao que apurou a redacção do Todos Somos Marinheiros, esta descoberta pode trazer dados novos sobre a origem criminosa do célebre incêndio de Odemira que vitimou 1200 cabeças de gado bovino e 2 humanos, tendo destruído por completo 17 casas (15 delas não habitadas). O processo encontrava-se em segredo de justiça desde 4 de Agosto de 2002. Em Felgueiras, mais de uma centena de populares, filhos de antigos magistrados públicos, deslocaram-se ontem ao santuário de Nossa Senhora de Fátima. Reivindicam direitos adquiridos pelos pais. Al Bar Da, gestor do santuário e neto do célebre historiador Bin Laden, afirmou que iria levar o assunto pessoalmente a Pedro Soares, bisneto do antigo republicano Mário Soares e actualmente presidente da Fundação dos Oceanos, Lagoas e Sapais. A fundação tem-se assumido como um actor estratégico na implementação do chamado Plano Alagado que tem como metas até 2100 a criação de 10 000 empregos na área da Construção Naval, triplicar o investimento em I&D, concretamente em nano culturas subaquáticas (1% do PIB) e o reforço do emprego cientifico: marinheiros de águas profundas. Recorde-se que o nosso país foi recentemente escolhido como palco para a 1ª Conferência Internacional sobre TIC (Trabalho, Ilusão e Corrupção) a decorrer no próximo mês nas ruínas de Belém. O caminho faz-se por barco, sempre a remar. A conferência promete disponibilizar coletes de salvação. Os mais velhos podem receber kits em função do estado das barbatanas.