quarta-feira, junho 08, 2005

Um país com calor


Os jornais da noite abrem com calor. A terra é queimada. Não estamos em 2004. Ou em 2003. Ou em 2000. Estamos em 2005. A probabilidade de para o ano os mesmos jornais da noite abrirem com mais calor é imensamente maior daquela que nos diz que o défice para esse mesmo ano será menor. A questão não é sobre calor. É sobre fogos, floresta que já não volta e meios sem volta a dar. O país arde. Se sabendo isto, ano após ano, o nosso sobro, azinho, sobreiro e pinheiro se vai, como será possível ter alguma fé (apenas isso) na redução do País Défice. Mais, dizem os sabedores, que no primeiro caso (meios) as chamadas variáveis de contexto são muito mais controláveis do que no segundo (função pública). Com calor de si próprio é um país que não merece estar neste hemisfério. Empurremo-lo, de vez, para baixo.