quinta-feira, janeiro 13, 2005

PEDRA

Perdes as palávras no inicio da espera
Agora que és
Ficas deitada entre o céu e a terra
Ponho nesse espaço uma letra desconhecida
O possível
é estarmos agora sem nada
Pedra após pedra