quarta-feira, dezembro 29, 2004

POSSUIR

Podendo um obstáculo ser uma barreira
Onde situar a saída
Sempre que a mesma
Surgir do espaço
Unico que é o caminho corrente
Invisível porque o construímos
Rente a um desejo impossível

Rente a um obstáculo ser uma barreira
Podendo a um desejo impossível
Invísivel situar a saída
Onde porque o construímos
Unico que a mesma
Surgir que é o caminho corrente
Sempre do espaço

A Maria escreveu estas linhas ainda acordada. Queria participar no 3º Encontro de Poesia Experimental de Setúbal. Quando os bombeiros a encontraram estava enrolada numa manta alentejana. A seu lado, servindo de apoio ao braço direito, os mesmos senhores descobriram o Orçamento de Estado para 2005. Ainda recuperaram do DVD um filme de Friedrich Wilhelm Murnau. Disseram Nosferatu.